Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Pesquisa de campo

Escrito por José Valmei Bueno | Publicado: Sexta, 17 de Setembro de 2021, 08h25 | Última atualização em Terça, 21 de Setembro de 2021, 07h41 | Acessos: 306
Alunos do Campus Inconfidentes participam de pesquisa de campo no Parque Nacional do Iguaçu (PR). (Foto: Arquivo Pesquisadores)
Alunos do Campus Inconfidentes participam de pesquisa de campo no Parque Nacional do Iguaçu (PR). (Foto: Arquivo Pesquisadores)

Alunos de Biologia e de Agronomia desenvolvem pesquisa, no Parque Nacional do Iguaçu (PR)

Os alunos do curso de Licenciatura em Biologia e de Engenharia Agronômica do IFSULDEMINAS - Campus Inconfidentes participaram de uma pesquisa no Parque Nacional do Iguaçu e no Refúgio Biológico Bela Vista de Itaipu, no Paraná.

A finalidade do trabalho de campo foi elaborar um inventário de insetos e aracnídeos próprios do local. “Foram realizadas coletas de vespas, borboletas, libélulas, opiliões e montagem de armadilhas para a captura dos bichos”, explicou um dos coordenadores da pesquisa, professor Marcos Magalhães que leciona Biologia no Campus Inconfidentes.

Realizado entre os dias 03 e 11 de setembro, o trabalho é coordenado pela professora Norma Barbado, do Instituto Federal do Paraná, Campus Umuarama (IFPR) e pelo professor de Biologia do Campus Inconfidentes, Marcos Magalhães.

Apesar do período de estiagem, foram registradas 28 morfoespécies de vespas sociais, com cerca de oito novos registros para o Paraná, além de 50 morfoespécies de borboletas, 30 de libélulas e 10 de opiliões. “O material está em fase de identificação, mas é promissor o projeto, pois o número de espécies deve ser muito maior no período chuvoso”, completou Magalhães.

O aluno do 7º período do curso de Licenciatura em Biologia do Campus Inconfidentes, Lucas Vieira, está participando da pesquisa de campo. De acordo com o estudante, a pesquisa é uma ferramenta importante para compreender o que é ser biólogo. “Ir a campo é uma experiência essencial para se entender o que é ser biólogo e professor. Está sendo uma grande aprendizagem. Sobretudo, para sensibilizar sobre a preservação dos animais”, contou Lucas que desde o 2º período do curso faz este tipo de trabalho. “Depois de formado vou transmitir melhor o aprendizado para os meus futuros alunos”, concluiu o pesquisador.

A pesquisa conta como parceiros a Fundação Parque Tecnológico de Itaipu, como financiador, o Parque Nacional do Iguaçu, Instituto Chico Mendes (ICMBio), IFPR - Campus Umuarama e IFSULDEMINAS - Campus Inconfidentes.

Confira as imagens:


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página